Agentes penitenciários impedem a entrada de 181 celulares na maior penitenciária de Mato Grosso.

0

site-1100px

Na tarde de ontem (03.01) agentes penitenciários que estavam de plantão na Penitenciária Central de Mato Grosso (PCE), flagraram diversos celulares escondidos na parede de umrefrilar bebedouro de metal.

Conforme informações dos agentes, o bebedor estava no conserto e foi adquirido pelos detentos, com o retorno para a penitenciária os plantonistas desconfiaram e resolveram fazer uma inspeção minuciosa onde foi encontrado envolto em espumas brancas, no meio das paredes de metal.

O presidente dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (SINDSPEN-MT), João Batista disse que o bebedouro fica instalado em um dos raios da unidade, em lugar de grande circulação dos presos. “Pela omissão do Estado, o bebedouro foi adquirido pelos detentos e é mantido por eles. Com isso, como teria apresentado defeito, foi encaminhado para receber manutenção, já com o objetivo de receber os aparelhos celulares”, ressalta Batista.

Conforme ainda o Batista a PCE tem hoje uma população carcerária de aproximadamente 2,2 mil presos, ocupando as 859 vagas existentes, superlotado, com presos de alta periculosidade, membros de facção criminosa entre eles PCC e Comando Vermelho.

Os celulares apreendidos seriam utilizados pelos detentos para comandar crimes de dentro do presidio, o que é uma atividade comum.

“Mesmo com a fragilidade do sistema penitenciário de Mato Grosso, os agentes penitenciários tem impedido a entrada de aparelhos celulares e outros objetos proibidos em todas as unidades penais do Estado”, disse Batista.

As equipes não realizaram a prisão de nenhum detento e todo material apreendido foi encaminhado para perícia e posterior destruição.

Ana Paula Barros
Assessoria de Imprensa-SINDSPEN-MT

8755d003-a2cc-4abc-a310-638eab1a00fa

15801691_920073531456802_2085899419_n

>

Compartilhar

Deixe uma resposta