Casal que vendia drogas em casa e dava apoio a criminosos é preso pela PJC em Pontes e Lacerda.

1
Os suspeitos, Felipe Thomas Quintino Silva, 27, e sua esposa Marina de Jesus Meira, 18, foram autuados em flagrante pelo crime de tráfico de drogas.

Um casal envolvido com tráfico de drogas na região de fronteira foi preso pela Polícia Judiciária Civil, na tarde de sexta-feira (08.06), no município de Pontes e Lacerda. A ação resultou também na apreensão de droga, dinheiro e no cumprimento de um mandado de prisão.

Os suspeitos, Felipe Thomas Quintino Silva, 27, e sua esposa Marina de Jesus Meira, 18, foram autuados em flagrante pelo crime de tráfico de drogas.

Ambos foram descobertos durante diligências para apurar e identificar pessoas, atuantes do comércio de droga na cidade. O casal comercializava drogas na própria residência e ainda dava suporte a criminosos, fornecendo veículo, armas e munições para práticas delituosas.

Com base nas suspeitas, os policiais civis passaram a monitorar os dois e na tarde de sexta-feira (08), o casal foi abordado em uma motocicleta com documentação irregular. A equipe acompanhou Felipe até sua residência, no centro da cidade, para pegar os documentos pessoais.

Na ocasião, com a permissão do pai do rapaz que estava na casa, os investigadores foram até o quarto do suspeito. No local encontraram três tijolos de maconha, com diferentes tamanhos,  quatorze porções da mesma droga, além de três munições de calibre 380, balança de precisão, apetrechos para embalar entorpecentes e mais de R$ 170 em dinheiro.

Felipe e Marina foram conduzidos à Delegacia de Polícia de Pontes e Lacerda, interrogados e autuados pelo crime de tráfico de drogas. Durante checagem foi identificado um mandado de prisão em aberto, expedido pela 3ª Vara Criminal da Comarca local, em desfavor de Felipe, o qual foi devidamente cumprido pela Polícia Civil.

Após os procedimentos e confecção dos autos de prisão, o casal foi colocado à  disposição da Justiça.

Assessoria | PJC-MT

Compartilhar

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta