IFMT firma parceria para alfabetização de reeducandos no CDP de Pontes e Lacerda

1
Da esquerda para direita: O professor doutor Epaminondas de Matos Magalhães, (a moça integra a administração do CDP), o professor mestre Sérgio Gomes da Silva e o professor mestre Adriel Martins Lima .

O  Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) Campus Pontes e Lacerda – Fronteira Oeste firmou parceria com o Centro de Detenção Provisória (CDP) da cidade para alfabetizição de reeducandos por meio do projeto “Reinício: alfabetização de reeducandos”, a partir de agosto. As aulas acontecerão em uma sala preparada no próprio Centro, às quartas-feiras, das 13h30 às 17h30, por 12 meses, período que pode ser prorrogado. O Instituto também irá fornecer o material escolar.

CDP de Pontes e Lacerda receberá projeto “Reinício: alfabetização de reeducandos”, a partir de agosto. As aulas acontecerão em uma sala preparada no próprio Centro de Detenção Provisória.

Coordenador do projeto, o professor doutor Epaminondas de Matos Magalhães destacou o compromisso do IF com o ensino. “O projeto surge por entender que temos um compromisso social, enquanto instituição de ensino, seja nível médio ou tecnológico. A ideia de trabalhar com os reeducandos do CDP surgiu a partir do levantamento prévio de que 22 ainda não foram alfabetizados, não lêem e não escrevem absolutamente nada. Conversamos para que possamos ter um contato mais próximo com os reeducandos, até porque a alfabetização exige esse contato. O Centro deu todo suporte necessário, foram extremamente receptivos”, afirmou.

Epaminondas ainda ressaltou a intenção de demais projetos atrelados ao CDP. “Já sinalizamos outros projetos como o Clube de Leitura, porque estão tentando montar uma biblioteca lá dentro. Inclusive uma das nossas perspectivas junto com a direção de ensino é tentar fazer uma campanha de doação de livros para que possamos repassar ao Centro”, detalhou.

Coordenador de extensão e relações empresarias do campus, o professor mestre Sérgio Gomes da Silva frisou  a receptividade do projeto e importância da interação com a comunidade. “O projeto foi bem acolhido pelo diretor do CDP, Nelson Ortega, bem como a equipe envolvida. O próprio Instituto tem como política trabalhar o desenvolvimento, ensino, pesquisa e extensão. Então o IF não se restringe somente a trazer o aluno para dentro do Instituto, mas para mostrar para a comunidade que está à disposição dela, que é possível a interação e o comprometimento em prol da educação”.

Diretor de ensino do campus, o professor mestre Adriel Martins Lima destacou as ações além dos muros da instituição. “O Instituto Federal Campus Fronteira Oeste é de Pontes e Lacerda e região, e queremos consolidar isso cada vez mais, essa relação com a comunidade, com a cidade, é muito importante. O IF não pode ser isolado, estamos aqui há 8 anos em prol da população, dos estudantes, de todos que precisam da instituição”, concluiu.

Weverton Correa

 

Compartilhar

1 COMENTÁRIO

  1. Só não sei o motivo de ter diminuído a média de aprovação de 7,0 para 6,0. Tem que ser diferenciado das escolas assim como era no inicio. (me refiro por ser federal e instituição) não pode cair. Se algum representante poder explicar fica a vontade.

Deixe uma resposta