Regionais do Indea de Pontes e Lacerda, Cáceres, Porto Esperidião e mais 25 municipios ganham novos veículos e equipamentos.

0

BANNER-MATERIA

O governo do estado de MT entregou 28 novos veículos, modelo picape Strada, que vão reforçar o trabalho de fiscalização do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grossobanner-materia-1 (Indea-MT). A entrega foi realizada nesta sexta-feira (20), na sede do Instituto. Além de veículos, também foram entregues 150 aparelhos GPS, 150 computadores e 292 no-breaks.

7961cc69-d74f-41af-a3f9-d0f6d53a8b28“O setor produtivo do Estado tem trabalhado muito e estamos juntos para fazer com que o Indea possa mostrar que pode conquistar mercados internacionais. Veja a questão da peste suína clássica, que devido ao trabalho do Indea, estamos livres desse mal”, exemplificou o govenador Pedro Taques.

Os veículos vão auxiliar na atividade de fiscalização das rodovias, postos estaduais, barreiras internacionais e na fronteira com a Bolívia. As picapes foram adquiridas com recursos provenientes de convênio entre o Governo de Mato Grosso e o Fundo de Apoio da Cultura da Semente (fundo gerido pela Aprosmat), no valor de R$ 3.267.922,00 milhões.

Elas serão utilizadas nos municípios de: Nova Xavantina, Querência, Alta Floresta, Nova Monte Verde, Denise, Nova Olímpia, Barra do Garças, Torixoréu, Cáceres, Porto Esperidião, Cuiabá, Rosário Oeste, Juína, Cotriguaçu, Ipiranga do Norte, Nova Mutum, São José do Rio Claro, Sorriso, Matupá, Terra Nova do Norte, Pontes e Lacerda, Sapezal, Alto Araguaia, Campo Verde, Dom Aquino, Confresa, Sinop e Jaciara.

“Estamos há dois anos aparelhando o Indea, e são investimentos que dão melhores condições ao fiscal do instituto na defesa sanitária vegetal e animal. Mato Grosso certifica e dá garantia de seus produtos por meio do Indea, por isso, exportamos para mais de 120 países”, destacou o presidente Guilherme Nolasco.

16002812_1342761875815115_5601656619238207151_nDe acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, Ricardo Tomczyk, as parcerias são as principais responsáveis por manter o mercado de defesa sanitária.

“Temos uma defesa sanitária e animal compatível com o Estado. Este potencial só é possível porque o setor privado do agronegócio se organizou por meio da União e de recursos financeiros administrados pelas entidades, que garantem as ações do setor, pois sem isso o campo não sobrevive, não conquista o mercado e não avança”, afirmou Tomczyk.

EVELYN RIBEIRO
GCom-MT

14604870_1819095831707481_2625248915061100454_n

13939417_756878874454750_8403665682122907453_n

Compartilhar

Deixe uma resposta