Polícia Federal identifica mais R$ 200 milhões em contas de empresários

0

Policiais federais identificaram quase R$ 200 milhões ao realizarem o arresto nas contas bancárias dos dois empresários presos na Operação Argentarius, nesta quarta-feira (1), em Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá).

A Polícia Federal desarticulou quadrilha que financiava atividades criminosas, como tráfico de drogas, contrabando de agrotóxico, roubo e adulteração de cargas de insumos agrícolas. De acordo com novas informações, somente nas contas bancárias dos empresários foram descobertos quase R$ 200 milhões.

Em coletiva à imprensa, o delegado Jener Alberto da Gama Barroso afirmou que durante a investigação constatou que o grupo criminoso movimentou mais de meio bilhão de reais.

Somente os dois empresários, alvos da investigação, movimentaram sozinhos uma quantia superior a R$ 220 milhões.

Não foram informados o nome dos investigados, nem mesmo o ramo em que eles atuam. Mas, durante o cumprimento dos 29 mandados de busca e apreensão, 4 pessoas foram presas em flagrante. Cheques foram apreendidos, além de 10 carros e outros bens. Três dos presos estavam em posse de arma de fogo e um estava guardando e manipulando agrotóxico.

Laranjas

A investigação da PF aponta que existem pessoas usadas como laranjas que emprestavam as contas para ocultar a origem e destino do dinheiro ilícito. Essas pessoas, da mesma forma, não têm qualquer poder econômico para fazer tais movimentações.

A quadrilha também usa empresa de fachada. Foi constatada a existência de várias que não possuem nenhum funcionário registrado e indicavam endereços inexistentes.

Nome da operação

Faz referência aos “Argentarius”, que eram personagens do Império Romano responsáveis por bancos de depósito e operações de câmbio. Eram bancos particulares, com atuação, portanto, semelhante ao dos principais alvos da ação.

Por Gazeta Digital

Compartilhar

Deixe uma resposta