Três são presos pela PF em MT

0

O LIG3000 FALA 750

Treze pessoas foram presas nesta terça-feira (1) durante uma operação da Polícia Federal realizada em Governador Valadares e em cidades do Mato Grosso. A operação “Samoa” desarticulou uma associação criminosa envolvida com o tráfico interestadual de drogas. De acordo com o delegado da PF, Marcelo Xavier, foram cumpridos 29 mandados, sendo que 13 foram de prisões temporárias; dez pessoas foram presas em Governador Valadares e três no Mato Grosso, nas cidades de Mirassol d’Oeste e São José dos Quatro Marcos. Foram apreendidos ainda um motor de barco e um revólver, com seis munições, de uso restrito das forças armadas.

Marcelo Xavier também informou que a polícia apreendeu alguns veículos usados pelos criminosos. “Foi uma operação de aproximadamente um ano. O que a gente detectou durante as investigações é que o distribuidor de drogas, aqui em Governador Valadares, já atuava no ramo a bastante tempo, portanto tinha uma logística preparada para receber os entorpecentes”, disse.

Ainda segundo o delegado, alguns dos traficantes, que foram presos, utilizavam-se de ilhas e de locais às margens do Rio Doce para guardar drogas, e transportavam os entorpecentes em barcos até os pontos de venda. Eles tinham ainda ligação com criminosos de Mato Grosso, com a finalidade de fazer o transporte e aquisição das drogas.

Cerca de 90 policiais participaram da operação somente em Valadares, e, segundo o delegado, esta é apenas uma parte ostensiva da ação, que terá desdobramentos a partir das apreensões, e dos interrogatórios dos presos.

Os suspeitos podem pegar até 15 anos de prisão por tráfico de drogas, além da pena relacionada a associação de drogas, que é 10 anos, e alguns serão indiciados por lavagem de dinheiro. O delegado também informou que os traficantes utilizavam “laranjas” para esconder os bens que adquiriam com o tráfico de drogas.

A PF informou que o nome “Samoa”, dado a operação, surgiu do apelido do traficante que recebia a droga em Governador Valadares. As identidades dos suspeitos não foram divulgadas pela polícia.

anigif anigif

Compartilhar

Deixe uma resposta